Sociedade Brasileira de Geologia - SBG Contato

SBPC divulga vencedoras do 1º Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher”


Fonte: http://portal.sbpcnet.org.br/noticias/sbpc-divulga-vencedoras-do-1o-premio-carolina-bori-ciencia-mulher/

 

SBPC divulga vencedoras do 1º Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher”

Helena Bonciani Nader foi escolhida para receber o prêmio na categoria “Mulheres Cientistas” e Alice Rangel de Paiva Abreu receberá a “Menção Honrosa”. A cerimônia de premiação será realizada em 11 de fevereiro, no “Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência”, em São Paulo

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) anuncia as vencedoras da 1ª edição do Prêmio “Carolina Bori Ciência & Mulher”. Helena Bonciani Nader, professora-titular da Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp), foi escolhida para receber o prêmio na categoria “Mulheres Cientistas”, e Alice Rangel de Paiva Abreu, professora emérita da UFRJ, receberá a “Menção Honrosa”.

A cerimônia de premiação será realizada no dia 11 de fevereiro, no Salão Nobre do Centro Universitário Maria Antonia da USP, em São Paulo, durante o Simpósio Mulheres e Meninas na Ciência, em celebração ao Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência, instituído pela UNESCO.

Lançado em 2019, o prêmio é uma homenagem da SBPC às cientistas brasileiras destacadas e às futuras cientistas brasileiras de notório talento, que leva o nome de sua primeira presidente mulher, Carolina Martuscelli Bori. A cerimônia de premiação ocorre anualmente, alternando duas categorias – “Mulheres Cientistas” e “Meninas na Ciência”. Esta primeira edição homenageará a primeira categoria, dedicada às cientistas brasileiras destacadas de instituições nacionais, que tenham prestado relevantes contribuições à ciência, gestão científica e ações em prol da ciência e tecnologia nacional.

Após um processo de nominação, do qual participaram 25 Sociedades Científicas afiliadas à SBPC, chegou-se a uma lista com 29 cientistas brasileiras indicadas. Uma comissão julgadora se reuniu no dia 4 de dezembro para deliberar e selecionar a vencedora e a menção honrosa desta primeira edição do prêmio.

“Fico muito honrada e lisonjeada de receber esta homenagem, em especial, tendo em vista o nome deste prêmio; a grande presidente Carolina Bori. Fico muito feliz também em receber esta premiação junto à Alice, que tanto respeito!”, declarou Helena Nader, ao receber a notícia sobre seu nome ter sido escolhido para receber o prêmio.

Alice Rangel de Paiva Abreu destacou a importância da SBPC criar uma premiação dedicada a mulheres e meninas no País. “Estou extremamente feliz e honrada em saber que eu recebi essa homenagem. Muito contente também que a SBPC tenha instituído esse prêmioÉ um tema cada vez mais reconhecido como vital para a ciência”, disse ao Jornal da Ciência.

Cientistas destacadas

????????????????????????????????????

A trajetória de Helena Nader é amplamente conhecida no cenário de educação e ciência no Brasil. Bacharel em ciências biomédicas pela Unifesp, possui licenciatura em biologia na Universidade de São Paulo (USP), doutorado em biologia molecular na Unifesp e pós-doutorado na University of Southern California. É professora na Unifesp desde 1989 e membro titular da Academia de Ciências de São Paulo (Aciesp) e da Academia Brasileira de Ciências (ABC). Seus trabalhos na área de glicobiologia são referência internacional, o que rendeu a ela dezenas de prêmios importantes. Em 2002, foi agraciada com o título de Comendador e Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico. Além da brilhante trajetória científica, Nader também é uma ferrenha defensora da ciência e da educação brasileira. Sua atuação incessante foi marcada nos últimos anos por sua participação na Diretoria da SBPC – ela foi a segunda mulher a presidir a SBPC na história da entidade. Em 2019, foi eleita vice-presidente da ABC.

alice-rangel-abreuRecebendo a Menção Honrosa, Alice Rangel de Paiva Abreu foi indicada por sua expressiva atuação no campo da ciência e tecnologia no Brasil. Cientista Social com formação no Brasil e na Inglaterra (bacharel em Ciências Políticas e Sociais pela PUC-RJ, mestre em Sociologia pela London School of Economics e doutora em Ciências Sociais pela USP), desenvolveu sua carreira na UFRJ e atuou em universidades no exterior. Foi vice-presidente do CNPq e diretora do Escritório de Educação Ciência e Tecnologia da Organização dos Estados Americanos, entre outros. Suas principais pesquisas foram desenvolvidas no âmbito da Sociologia do Trabalho e de questões de Gênero e Ciência. Além de uma vasta produção bibliográfica reconhecida nacional e internacionalmente, Abreu tem destacada participação em organismos internacionais e em comissões que visam o reconhecimento das mulheres no campo científico.

Daniela Klebis – Jornal da Ciência